É a hora do Timesharing na Argentina

Na inverTUR procuramos localizar o Turismo entre os setores econômicos essenciais para o desenvolvimento da Argentina e da América Latina, identificando oportunidades para investir, conectando os atores chave do negócio e estruturando projetos em vetores ainda sem desenvolver e de alto potencial. 

De acordo a isso, procuramos levar à mesa novos vetores y veículos de investimento em Turismo e estamos convencidos, embasados em números, de que a Argentina tem uma grande oportunidade de potencializar a indústria do Timesharing.

O que é o Timesharing?

O Timesharing (Tempo Compartilhado) é uma modalidade de hospedagem hoteleira, geralmente em Resorts para Férias em família que, com algumas variações, propõe a compra antecipada de hospedagem e o pagamento de um complemento para cobrir despesas operacionais. Ele combina os negócios de desenvolvimento imobiliário (real estate) com o do turismo (hotelaria) com serviços de alto padrão para famílias.

O Timesharing é um dos principais motores do turismo nos EUA, México e Brasil. É hora de que também o seja para a Argentina.

Por que é hora de investir em Timesharing na Argentina?

1- Por que é a hora do Turismo, de investir em Turismo

Na nossa primeira matéria https://invertur.la/es-el-momento-de-invertir-en-turismo/ compartilhamos com vocês as razões de investir em Turismo, 

-A indústria cresce, cresceu e continuará a crescer.

-Ele é o quarto motor exportador do país

-Ele pode contribuir com vários pontos a mais para o PIB (hoje de apenas 3,7%)

-Ele é um bom negócio pela maior procura/fluxos (+Conectados, +Competitivos)

-Porque estão sendo feitos investimentos

 

O sucesso desta temporada de verão mostra claramente que é a hora do Turismo no país, em um nível independente do resto dos setores.

2- Porque ele é bem-sucedido em outros mercados como os dos EUA, México e Brasil

O Timesharing tem um forte peso específico nestes países:

-Segundo a ARDA (American Resorts Development Association), nos EUA, país líder no setor em nível internacional, 2019 foi o nono ano consecutivo de crescimento, com um volume de vendas de 10,2 bilhões de dólares e uma renda por aluguel de 2,4 bilhões de dólares.  Veja Infográfico 2019.

-Segundo a AMDTUR (Asociación Mexicana de Desarrolladores Turísticos), o México é o segundo país no mundo em desenvolvimento e comercialização de projetos. Em 2018, o país registrou vendas por 256.535 unidades semanais, das quais 77.5% são vendidas a estrangeiros. Veja El tiempo compartido en México.

-Segundo o RCI, no Brasil, no período de 2014-2018, a comercialização de unidades semanais cresceu 71,2% e a quantidade de Resorts filiados cresceu 42,8%, de 180 para 257

-Em 2017, nestes três países o volume de negócios registrado foi o seguinte:

3- Porque os argentinos somos bons consumidores de Timesharing

A gente inclusive adquire mais Timesharing no exterior do que na Argentina. Com base em dados do RCI, os dados do mercado argentino em 2018 são os seguintes:

  • Na Argentina foram vendidas 4.436 unidades
  • Os argentinos adquiriram, ao todo, 13.000 unidades: 70% no México, EUA/Canadá e Brasil, mas só 1 em 4 na Argentina.

Se considerarmos como referência a unidade semanal de Timesharing, a comercialização de 13.000 semanas anuais com base em 4 passageiros, com uma ocupação média de 80% representa uma procura anual estimada de 310 apartamentos em Resorts com uma afluência estimada de 60.000 turistas. 50-60 milhões de dólares no investimento anual estimado para desenvolver esta nova oferta de 310 apartamentos.

4- Porque a Argentina tem um grande potencial de crescimento e experiências bem-sucedidas.

Na Argentina, o Timesharing teve seu auge e seu maior volume de investimento há 25-30 anos, principalmente no final da década de 1990, em que houve inúmeras campanhas comerciais que obtiveram clientes/parceiros para Resorts distribuídos em todo o país. Mas o setor não prosperou. O freio no desenvolvimento e na consolidação surgiu, em grande medida, pela falta de profissionalização, a extrema agressividade das campanhas comerciais combinada com falhas na qualidade dos serviços oferecidos, e, obviamente, pelas recorrentes crises que dificultam o investimento produtivo.

Na InverTUR a gente considera que a Argentina, como já vem acontecendo em outros países, tem um grande potencial para desenvolver o Timesharing e que chegou a hora de alavancar seu crescimento com investimentos nacionais e, também regionais. 

A Argentina, juntamente ao Uruguai e ao Paraguai, representa menos de 10% da oferta de estabelecimentos (Resorts) na América Latina. O México representa 37,3%, e o Brasil, 15,2%. É aqui que está a oportunidade. Como acontece com os pontos do PIB, que o Turismo pode alavancar com novos investimentos, há muita margem para crescer e investir em Timesharing.

Apesar do baixo nível de desenvolvimento do setor, na Argentina temos casos bem-sucedidos que podem tracionar a transformação e o crescimento do Timesharing.

Embora existam muitos outros casos, vamos fundamentar nossa opinião no caso do Bahía Manzano Resorts Club que, com base na satisfação da experiência do hóspede e na solidez de seu processo comercial, tem conseguido nos últimos 15 anos:

-Mais do que dobrar sua pasta de clientes (4.500 membros)

-Adicionar mais de 6.000 m2 construídos

-Alcançar um nível de ocupação anual de 85%

-Empregar de maneira estável mais de 150 pessoas

-Contribuir com 20% para o produto turístico líquido de Villa La Angostura 

-Ter um novo projeto de investimento no litoral atlântico Marina Resort

5- Porque o Brasil vem crescendo fortemente e representa oportunidades de negócios 

Como a gente comentou acima, o Brasil vem crescendo fortemente nos últimos anos, consolidando o Timesharing como veículo para a estruturação de novos desenvolvimentos e investimentos. No próximo dia 10 de junho, vamos apresentar esta experiência no Fórum de Investimentos em Turismo, junto a players brasileiros essenciais no setor. O Timesharing vai ser um dos eixos do Painel “A VOZ DOS DESENVOLVEDORES” como ferramenta para desenvolvimentos imobiliários, com o fim de integrar comunidades e fluxos de investimento entre a Argentina e o Brasil. 

Para finalizar…

Chegou a hora de recuperar a indústria do Timesharing como ferramenta, como veículo para alavancar desenvolvimentos e investimentos no país e na região. Os benefícios e o impacto nos destinos e nas suas economias são importantes: 

  • Multiplicação do investimento direto (construção de Resorts) 
  • Diminuição da sazonalidade 
  • Criação de uma pasta de clientes/membros e de turistas frequentes
  • Diminuição nos prazos de retorno do investimento 
  • Minimização do impacto de fatores externos (clima, crises, etc.)

Na inverTUR, a proposta da gente, considerando as estimativas de 50-60 milhões de dólares anuais na demanda de Timesharing dos argentinos, é identificar oportunidades concretas para investir no país, tanto para argentinos quanto para investidores regionais de países com um forte desenvolvimento no setor, como o Brasil, o México e os EUA.

Ramiro Alem, Co-fundador & CEO
Andrés Abate, Colaborador